VERBOS DE OURO

Muitos pensam que a verdadeira sabedoria só pode ser encontrada em documentos raros e empoeirados. Quando, na verdade, ela pode estar muito próxima de nós – em frases e palavras tão simples e repetidas – que não nos damos conta de seu poder.

Como é o caso dos Quatro Verbos de Ouro:
saber, querer, ousar e calar”.
Estes verbos fazem parte da sabedoria mágica, dizem respeito à eficácia dos atos mágicos. Mas, se fizermos uma análise cuidadosa, podemos tomá-los como “bons conselhos” para todas as áreas da vida.

“SABER”

O Arcano II: signo de sabedoria

O Arcano II: signo de sabedoria

Todo conhecimento é válido e desejável.
Seja o conhecimento adquirido através da leitura, meditação, conversas com amigos, experiências, etc.

O bruxo deve estar sempre aberto a novas ideias e sinais, pois a vida e o universo estão em constante evolução. Sempre há algo novo para se aprender (“Nada está parado, tudo se move, tudo vibra” – Princípio Hermético da Vibração).

O maior passo em direção a uma vida plena é o autoconhecimento, pois conhecer a si mesmo é conhecer o universo (“Conhece-te a ti mesmo e conhecerás os Deuses e o universo” – Oráculo de Delfos / “… Quod superius est sicut quod inferius…O que está acima é como o que está abaixo” – Princípio Hermético da Correspondência).

Antes de mais nada, o bruxo deve conhecer a sua vontade, saber o que quer.

“QUERER”

Uma lenda que nos alerta sobre a necessidade de exercer nossas escolhas e desejos com sabedoria. (“Hijo de la Luna” – Sarah Brightman)

Querer é uma expressão da vontade.
Representa um objetivo, o animus que move o espírito humano. A verdadeira chama do desejo.
Se “querer é poder”, devemos estar muito atentos ao que desejamos… sobretudo quando falamos de magistas.

Querer não é apenas desejar, sonhar, imaginar…
Querer verdadeiramente implica em ação!

“OUSAR”

O Arcano 0: o espírito aventureiro

O Arcano 0: o espírito aventureiro

Significa “arregaçar as mangas”, colocar os planos (saber + querer) em ação. Implica em uma luta contra a inércia e a “zona de conforto”, um chamado à ação.

Isso não significa agir sem pensar… já que o saber antecede este estágio. Mas sim a coragem e REAL vontade de mudar o status quo. O verdadeiro querer, te leva a ousar.

O que resta a fazer depois que a energia foi colocada em movimento?

“CALAR”

20130518-211140.jpg

Tarefa árdua para muitos de nós, mesmo sendo a mais simples. O segredo protege os atos mágicos ao manter seu sucesso e potência a salvo da influência de energias contrárias, como inveja, ciúmes, entre outros. Um modo muito eficaz de reverter um feitiço é anular seu efeito utilizando a mesma ação ritual. Por isso, espalhar o que e de que modo fez – definitivamente – não é uma boa ideia.

Segundo alguns autores, como Christopher Penckzak – em seu livro “O templo interior da Bruxaria”, afirmam ainda, que falar ou pensar sobre um feitiço realizado desvia a energia de seu objetivo, enfraquecendo ou impedindo seu resultado.

Um ótimo exemplo da importância de se manterem segredos, e do poder que as palavras possuem, ocorria no antigo Egito, quando os nomes verdadeiros eram secretos. Os egípcios acreditavam que aquele que soubesse o nome completo de uma pessoa teria total poder sobre ela. Assim, todos usavam um codinome – tamanha era a importância de guardar segredo.

Em resumo…
Na magia e na vida há um tempo para tudo. A grande sabedoria reside em perceber quando é hora de saber, querer, ousar ou calar!

Ankh!

Anúncios